Facebook Twitter Gplus YouTube RSS
formats

Soneto de Aniversário – Vinícius de Moraes

Soneto de aniversário

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.

Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.

Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.

E eu te direi: amiga minha, esquece….
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.

( Vinícius de Moraes )
(Poema do livro “Vinicius de Moraes – Poesia completa e prosa”, Rio de Janeiro: Nova Aguilar, p. 451.)

aniversario-poesia

Deseje Feliz Aniversário com poesia! :)

Conheça também:

Leia mais Vinícius de Moraes

Fabio Rocha

facebooktwittergoogle pluslinkedin

Um apaixonado pela poesia. (saiba +)


formats

Dia do Poeta – 20 de outubro

Dia do Poeta – 20 de outubro

dia-do-poeta-20-de-outubro

Celebrem o dia do poeta lendo e compartilhando seus poemas sem erros ou falsas autorias!

Leia também sobre o dia da poesia e outros posts educativos.

Fabio Rocha

facebooktwittergoogle pluslinkedin

Um apaixonado pela poesia. (saiba +)


formats

Oscar Niemeyer – Poema da Curva

Poema da Curva – Oscar Niemeyer

Não é o ângulo reto que me atrai, nem a linha reta, dura, inflexível, criada pelo homem. O que me atrai é a curva livre e sensual, a curva que encontro nas montanhas do meu país, no curso sinuoso dos seus rios, nas ondas do mar, no corpo da mulher preferida. De curvas é feito todo o universo, o universo curvo de Einstein.

(Niemeyer, Oscar, 2000, As Curvas do Tempo: as memórias de Oscar Niemeyer. Londres: Phaidon, ps. 169 e 70)

fonte: Wikipedia

Veja em vídeo no Youtube.

poema da curva - oscar niemeyer

A imagem acima foi retirada do blog com análise grafopsicológica do autor. Abaixo, outra imagem, deste blog.

 

poema da curva com desenhos - oscar niemeyer

Fabio Rocha

facebooktwittergoogle pluslinkedin

Um apaixonado pela poesia. (saiba +)


formats

Simultaneidade

Simultaneidade

- Eu amo o mundo! Eu detesto o mundo! Eu creio em Deus! Deus é um absurdo! Eu vou me matar! Eu quero viver!
- Você é louco?
- Não, sou poeta.

Mario Quintana )
(poema original do livro A vaca e o hipogrifo, retirado e conferido por mim mesmo do livro Poesia Completa – Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005, p. 535)

Simultaneidade

Fabio Rocha

facebooktwittergoogle pluslinkedin

Um apaixonado pela poesia. (saiba +)