Facebook Twitter Gplus YouTube RSS
formats

William Blake – Poemas Traduzidos

Cursos Online na área de Ciências Humanas e Sociais

William Blake – Poemas Traduzidos

Ver um Mundo num Grão de Areia
E um Céu numa flor silvestre,
Ter o Infinito na palma da sua mão
E a Eternidade numa hora.

(William Blake)

*

O Pequeno Vagabundo

Querida mãe, querida mãe, a igreja é fria
Mas a taverna é saudável, agradável e quente
E posso dizer que lá me tratam bem.
Pois nem no céu passaria tão bem.

Mas se na igreja cerveja pudessem dar
E um bom fogo as nossas almas regalar
Por todo dia rezaríamos e cantaríamos,
e da igreja jamais nos afastaríamos.

Então o pastor poderia pregar e beber e cantar.
Seríamos tão felizes qual aves primaverís a voar,
E a senhora bebedeira sempre na igreja em oração,
Não teria filhos franzinos, nem jejum ou punição.

E Deus como um pai que se regozija em ver
Seus filhos como ele, amáveis e felizes a valer,
Não teria mais querelas com o Diabo e o barril,
mas lhe daria vestes, bebida e beijos mil.

(William Blake)

William-Blake

Saiba mais obre o autor:

William Blake – Wikipedia

Leia mais poemas de grandes poetas

amopoesia.com.br

Fabio Rocha

facebooktwittergoogle pluslinkedin

Um apaixonado pela poesia. (saiba +)


2 Respostas

  1. RT @fabiorochapoeta: William Blake – Poemas Traduzidos: Ver um Mundo num Grão de Areia E um Céu numa flor… http://t.co/5HYevpKa

  2. Stella

    o “Infinito na palma da mão” é fantástico…
    A eternidade numa hora é o tempo q passamos juntos, é a conversa boa, os momentos que não queria estar em outro lugar…
    bjos eternos

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>